Image //www.softwaredecalibracao.com.br/wp-content/uploads/2018/05/calibracao-de-instrumentos-o-que-e-e-qual-sua-importancia.jpg

Calibração: o que é e qual sua importância

Autor: Categoria: Gestão, Indústria 5 comentários

Imprimir artigo
Todos já sabem que os instrumentos de medição são essenciais para a indústria, pois auxiliam na obtenção dos pesos e medidas necessários para garantir a qualidade no processo de fabricação. Assim, entendemos a importância de ter instrumentos em condições adequadas para uso, para que não prejudiquem o processo da indústria. E uma das maneiras de garantir isso é por meio da calibração de instrumentos.

Escrevi esse artigo com a finalidade de falar sobre a importância e os benefícios de trabalhar com instrumentos calibrados. Também vou falar um pouco sobre como funciona o processo de calibração.

Primeiramente, o que é calibração?

A calibração de instrumentos é um procedimento que possibilita identificar se os instrumentos de medição utilizados na indústria estão aptos para o processo e que os valores apresentados por eles não vão interferir na qualidade final do produto.

A calibração consiste na comparação entre os valores obtidos no seu instrumento e um instrumento de referência, que também pode ser chamado de padrão. Por exemplo, quando você envia um manômetro da sua indústria para calibração, os resultados são obtidos por meio da comparação entre os valores do seu manômetro e um outro manômetro padrão.

Os resultados obtidos na calibração são registrados em um certificado, que é um documento que registra e comprova que a calibração foi realizada. Por meio desse documento, é possível verificar se o instrumento está adequado para o uso, avaliando se os resultados obtidos estão dentro do critério de aceitação.

Não basta calibrar, é necessário avaliar os resultados

Tão importante quanto a calibração, é a avaliação dos dados obtidos no certificado com o critério de aceitação. Por meio dessa avaliação é possível determinar se o instrumento precisa passar por algum tipo de manutenção ou até mesmo se precisa ser substituído.

O critério de aceitação determina um valor limite que o resultado da medição do instrumento pode apresentar, sem causar problemas à produção ou ao produto final.

Se você quiser ler mais sobre esse assunto, sugiro ler o texto do meu amigo Lucas: Como definir os critérios de aceitação de instrumentos. Lá ele passa algumas dicas de como estabelecer e avaliar os critérios de aceitação.

Benefícios da calibração de instrumentos

Já vimos que a calibração de instrumento serve para garantir que os resultados apresentados por ele estão dentro dos limites aceitáveis para que sua utilização não prejudique o processo de fabricação da sua indústria. Mas, na prática, o que isso quer dizer?

Veja alguns benefícios da calibração dos instrumentos:

  • Previne possíveis danos ao instrumento quando, por exemplo, ao enviá-lo para calibração, o laboratório identifica algum defeito de fabricação e/ou desgaste;
  • Facilita a validação dos critérios de aceitação, pois alguns laboratórios já avaliam o critério durante o próprio processo de calibração;
  • Identifica facilmente se aquele instrumento precisa de manutenção ou substituição, por meio dos resultados do certificado de calibração;
  • Garante que o processo e o produto final terão a qualidade esperada.

Então, manter um plano de calibração dos seus instrumentos é uma das etapas para garantir a qualidade dos seus produtos.

Mas o que calibração tem a ver com qualidade?

Na própria ISO 9001:2015 (itens 7.1.5.1 e 7.1.5.2) se fala sobre a calibração dos instrumentos. A norma especifica que a empresa deve assegurar resultados de medição válidos para seus instrumentos, e que isso pode ser feito por meio de calibrações ou validações.

Assim, além dos benefícios de manter seus instrumentos calibrados, você vai cumprir um requisito da norma e, todos sabem que no mercado atual cada vez há menos espaço para indústrias com processos falhos e que não se preocupam com a qualidade de seus produtos. Você não vai querer que sua empresa fique fora dos padrões de qualidade, não é mesmo!?

Não deixe de acompanhar os textos aqui do blog, te vejo numa próxima oportunidade! 😉