Image //www.softwaredecalibracao.com.br/wp-content/uploads/2018/04/5-dicas-para-as-industrias-otimizarem-seu-processo-metrologico.jpg

5 dicas para as indústrias otimizarem seu processo metrológico

Autor: Vladimir Rech Categoria: Gestão, Indústria 1 comentário

Imprimir artigo
Para manter sua posição no mercado e garantir sua sustentabilidade econômica, é importante para as indústrias darem atenção à sua área de produção. Essa atenção envolve ações para garantia da qualidade e também redução de custos e desperdícios. Um processo metrológico bem conduzido e em constante aperfeiçoamento pode contribuir muito para que isso seja alcançado.

As pessoas que estão diretamente comprometidas com os processos de metrologia já sabem: quando os instrumentos usados no processo produtivo estão bem ajustados, desempenham melhor e dão mais confiabilidade. Entretanto sempre é possível melhorar o processo metrológico, dando maior foco nos itens importantes e descartar o que é desnecessário.

Isso pode promover resultados como a redução do retrabalho e dos desperdícios, diminuindo assim custos e despesas. Com isso, é possível contribuir para que outros setores também entendam a importância de um processo metrológico bem estruturado dentro da empresa.

Sendo assim, gostaria de contribuir com algumas ideias e sugestões para promover a sensibilização sobre a importância da área da metrologia e, se possível, auxiliar na sua evolução:

1 – Determine o sistema de medição padrão

Dentro da atividade de produção, quais são as grandezas mais usadas nos instrumentos? E quanto à resolução desejada na medição dos pontos? Esta definição irá fazer com que sejam mantidos registros adequados às necessidades.

Considerando uma balança, por exemplo, a resolução desejada entre os pontos pode variar dependendo da sua aplicação. Como resultado, espera-se uma maior precisão e eliminação de dados irrelevantes.

2 – Escolha os instrumentos críticos da empresa

Deve se levar em consideração a frequência de utilização dos instrumentos, o número de pessoas que o utilizam, qual o seu custo de manutenção ou reposição, e outros aspectos nesse sentido. A intenção é eliminar o desperdício e dar foco maior em acompanhar os instrumentos que impactam na produção.

Se o orçamento da empresa estiver reduzido, pode ser necessário deixar algum grupo de instrumentos com verificações feitas em um período de tempo maior, pois quando verificados resultados estáveis do instrumento, verificações muito próximas não apresentarão variação alguma, sendo assim consideradas desnecessárias. É importante que itens críticos (instrumentos mais importantes da linha de produção) não façam parte deste grupo, uma vez que necessitam de mais atenção.

3 – Defina o tipo de calibração mais adequado

É importante avaliar se o setor de metrologia tem capacidade de realizar as calibrações internamente, possuindo ambientes adequados, padrões de comparação e pessoal capacitado, ou se é necessário contratar um laboratório de metrologia.

Fazendo essa análise, podem ser reduzidos custos. Alguns tipos de calibração requerem gastos em ambientes controlados, equipamentos e qualificação de pessoal, então, nesse caso, os laboratórios de metrologia podem garantir uma calibração mais confiável e com um custo menor.

4 – Mantenha o registro de calibrações internas

No caso de serem realizadas calibrações internas, é necessário manter registros adequados das leituras. Os valores que foram coletados e que serão usados para os cálculos dos resultados, precisam ser registrados em um sistema confiável. É importante que seja fácil a recuperação desses dados para consultas e conferências.

Se houverem recursos para realizar comparação com outros registros (por exemplo, os certificados de calibração anteriores), melhor ainda, será mais fácil acompanhar a evolução das condições do instrumento. Os dados podem indicar a necessidade de ajustes, como a alteração da frequência de calibração.

5 – Defina o intervalos de calibração

Dependendo do tipo do instrumento e em quais condições ele é utilizado a frequência de calibração precisa ser avaliada e alterada. Isso assegura que os resultados obtidos na medição serão confiáveis já que os ajustes necessários serão executados em períodos menores. Outro benefício é a identificação de uma eventual necessidade de substituição de um instrumento.

 

Além dessas ideias, outras podem surgir para adequar-se a necessidade de cada empresa. É importante, além de ter um processo bem delineado e considerado perfeito, que este seja executado de forma eficaz e seja constantemente acompanhado, revisado e aperfeiçoado.

No seu trabalho, como isto acontece? Em breve estarei de volta escrevendo sobre a importância da qualificação das pessoas no processo metrológico. Até a próxima.